• CONTENT

5 erros comuns ao utilizar parafusos e outros fixadores

09/04/2018 15:36
 5-erros-comuns-ao-utilizar-parafusos-e-outros-fixadores | Blog

Mesmo profissionais habituados com fixadores cometem alguns erros ao utilizar parafusos e outros acessórios.

 

Quem trabalha com parafusos, porcas, arruelas e outros fixadores já enfrentou alguns contratempos, seja por erro na aplicação ou mesmo na seleção do fixador ideal. Por isso, listamos cinco erros comuns ao utilizar parafusos e outros fixadores. Procure evitá-los a todo o custo!

 

1. Misturando rosca polegada com métrica

 

Existem diferentes tipos de roscas de parafusos e outros fixadores. Cada qual, possui seu número de fios, ângulo de abertura e inclinação. Quando a rosca do parafuso é compatível com a da porca ou do furo de aplicação, o rosqueamento ocorre de forma fácil.

 

Quando o rosqueamento apresenta dificuldades, cheque as roscas. Existem diversas ferramentas para verificar o tipo de rosca do parafuso. Lembre-se de verificar o diâmetro correto antes de utilizar parafusos. Assim você evita emperramentos, desgastes prematuros e até mesmo, quebra de materiais.

 

2. Tamanho de chave errado

 

Toda chave foi desenvolvida para se encaixar perfeitamente na fenda do parafuso. Existem diferentes tipos de chaves, da mesma forma que existem diferentes tipos de fendas em fixadores.

 

Utilize sempre o tamanho correto da chave na fenda do parafuso, para evitar que a fenda espane. Isto vale para chaves de fenda e soquetes também. Muitos profissionais utilizam soquetes polegada em cabeças de parafusos sextavados métricos, porque parecem se encaixar (deixando poucas folgas). Não faça isso.

 

Essas “folgas” farão com que a força de torque seja empregada em alguns pontos da cabeça sextavada. Muita força nesses pontos irá causar deformações na cabeça do parafuso, gerando uma cabeça sextavada espanada.

 

3. Usando materiais reativos juntos

 

Isto aqui é um assunto mais específico ao utilizar parafusos. Não é de conhecimento geral que certos metais, ao entrarem em contato, acabam enfraquecendo sua resistência.

 

Um exemplo disso é o aço inox e o alumínio: quando estão juntos e um eletrólito é inserido (como a água salgada) elétrons são transferidos, gerando instabilidade. Isso enfraquece os materiais, deixando-os suscetíveis à corrosão. Esse processo é conhecido como corrosão galvânica e deve ser evitado a todo o custo.

 

4. Escolhendo errado os materiais e classes de resistência

 

Selecionar o fixador ideal para um projeto não pára na seleção do tipo, cabeça e fenda. É preciso definir o tipo de materialclasse de resistência e revestimentoideal para a aplicação.

 

Quando há pouca preocupação na seleção dos materiais e revestimentos, é comum deparar com diversos problemas, como quebra de roscas, corrosão, emperramentos, etc.

 

5. Não utilizar fixadores para o travamento

 

Ao utilizar parafusos e porcas em aplicações que sofrem vibrações fortes ou constantes, é indicado o auxílio de um fixador para travamento, como uma arruela de pressão, porca auto-travante (Parlock), etc.

 

Tais fixadores impedem que haja afrouxamento na aplicação, podendo comprometer o bom funcionamento da máquina.

 

Da dúvida, pesquise e consulte profissionais

 

Se você tem dúvidas de como utilizar parafusos e outros fixadores, ou que tipo é indicado para determinado projeto, não tenha vergonha de procurar auxílio. É melhor gastar algum tempo selecionando corretamente os fixadores do que corrigindo problemas causados por aplicações indevidas.

 

Fonte: https://bit.ly/2v2e9Wg

Galeria de fotos
Comentários icone comentários 0 Comentários
Deixe seu comentário!
Leia Mais Matérias
Parafuso: Onde surgiu? | Blog

Parafuso: Onde surgiu?

Existem algumas teorias a respeito do surgimento do parafuso e quem seria seu inventor. Uma delas indica que o grego Arquitas de Tarento o teria...

Ver Mais
SOLICITE SEU ORÇAMENTO